quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Consciência Negra?!

Existe preconceito maior do que as regalias?

"Vantagens" que tiram muitas vezes a honra de pessoas que lutaram durante décadas por igualdade e que infelizmente têm um beneficio que os faz passar a frente. Tecnicamente, sendo eles preconceituosos com os que ficaram pra trás e preconceituosos consigo mesmo. Creio que seja uma vergonha para grande parte dos negros, tantas especificações em sociedade, fazendo com que o preconceito nunca se acabe.

Não estou aqui para citar o preconceito de uma forma geral, mas sim o preconceito cabível aos negros, que fica cravado nas bandeiras sociais, com o sistema de cota, o dia da Consciência Negra, e tantas outras "regalias" que os propõem. A raça negra, não é e nunca foi coitada. Falem o que quiser, mas todo brasileiro é negro, e se o seu antepassado paterno deu chibatadas em escravos nos grandes engenhos, foi o seu antepassado materno que apanhou.
Eu vejo isto como uma grande forma de colocar um nariz de palhaço no rosto da população negra brasileira, está que compõe a maioria dentro do nosso território nacional. É a mesma coisa com as expressões "negro" e "preto", a raça é negra, mas a cor da pessoa é preta! Mas o que isso interfere no bem comum de preconceito ou não? Tem certeza que são as cores que ainda mantém esses pilares infernais, que brancos, pardos e negros se encontram? As famigeradas dúvidas, de poder ou não poder falar, de poder ou não poder expressar, por ser uma forma preconceituosa de avaliar as coisas.

O sistema social formado por pessoas preconceituosas, impõe que qualquer ser, seja branco, pardo ou negro, possua tal sentimento e ardor. As Cotas, são sim um sistema preconceituoso para negros, pardos e brancos, o dia da Consciência Negra, é sim um dia preconceituoso para negros, pardos e brancos. O sistema abocanha todas as oportunidades de ser social para todos, mas com isso acaba prejudicando o próximo, não consegue fazer histórias sem mocinhos ou vilões, e nós, que apanhamos todos os dias por toda e qualquer manifestação de preconceito, temos que aceitar isso.
O preconceito está no nosso dia a dia, em todas as suas crenças, raças e até times de futebol. Repito, este post não é sobre um preconceito geral, mas de um preconceito localizado e mantido. Parem de dar corda pra  uma coisa tão banal, ser negro é tão normal quanto ser pardo ou branco, e não é por isso que mereçam vaga cativa em universidades ou uma comemoração especifica por que Zumbi dos Palmares, "libertou" os escravos... Me ouso até a dizer, que Zumbi estaria muito decepcionado com a sociedade para os negros se ele visse o que ocorre hoje.

Martin Luther King, Malcom X, Barack Obama, Lewis Hamilton, Tiger Woods, Michael Jackson, Cartola, Nelson Mandela... E tantos outros negros que se destacaram e se destacam no cenário mundial, sem cotas, sem dias e sem babaquices. São pessoas normais como qualquer outra, e não rejeitados como a sociedade tenta enfiar na sua cabeça.

Só pra esclarecer, sou pardo... E não aguento esse tipo de manifestação preconceituosa ridícula. 

9 comentários:

Laís Gomes disse...

Excellente!!!!!

Mother disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Mother disse...

Esse "pitaco" me faz lembrar um texto que eu li sobre pessoas de "cor"... o branco vai a praia fica vermelho, se está doente fica verde ou amarelo e o "negro" é que é de "cor"... Resumo da Ópera: Somos todos pessoas, terráqueos, religiosos ou não, tem olhos, boca, nariz, orelha e todos os demais membros. Discriminar ou hipoteticamente enaltecer o que? Minhas raízes são negras, COM MUITA HONRA. Valeu filho!!! Show de bola.

gfeldens disse...

Sobre o assunto, recomendo o livro "Uma gota de sangue" de Demetrio Magnoli... tem umas 400 paginas, mas é excelente.

Carol disse...

Bom somos todos brasileiros e não existe no lugar no mundo mais miscigenado que aqui, não vejo motivos para tal preconceito ainda existir. Sobre as cotas sou totalmente contra, nem preciso justificar pq!!!
No mais como sempre vc arraza escrevendo...sempre coerente e com uma visão incrível das coisas!
Parabéns mais uma vez!
bjo

Flavio M. Carvalho disse...

Já está mais do que provado que essa história de que as cotas estão instaurando o racismo no Brasil é pura conversa fiada. Aqui sempre existiu um racismo velado, que é muito pior do que em outros países que são abertamente racistas... No Brasil, o sujeito sorri para o negro, diz para o negro que não é racista, mas paga a ele um salário menor do que pagaria se ele fosse branco.

Outra coisa: É verdade que a etnia negra não é e nem nunca foi coitada... Fomos sim escravizados durante séculos, e prejudicados por uma abolição feita de forma a nos empurrar para as margens da sociedade, para que desaparecessemos da face do Brasil devido à mortalidade infantil, desnutrição, doenças e mazelas sociais ... Portanto, o dia da Consciência Negra não é data preconceituosa coisa nenhuma!!! Esta data é comemorada com duas finalidades muito simples:

1º) Conscientizar os afrodescendentes sobre a nossa historia e nossas lutas, tanto as lutas que já foram travadas quanto as que ainda estamos travando por uma vida melhor e mais digna.

2º) O dia 20 de novembro também é a data em que se celebra Zumbi dos Palmares, herói que foi nosso verdadeiro libertador ... Ele não assinou um pedaço de papel que nos daria uma liberdade que sempre foi nossa (afinal todo ser humano nasce livre). O que ele fez foi nos ensinar a lutar, porque representou o foco principal e fundamental da resistência negra no Brasil através do Quilombo de Palmares.

E não somos só nós que comemoramos uma data importante para o nosso povo ... No Brasil comemora-se o dia da Imigração Judaica, o dia da Imigração Japonesa, etc, etc, etc, etc. Mas talvez essas datas não sejam criticadas porque eles não saem às ruas pra comemorar, como nós fazemos. E eu digo que eles não saem porque não querem, afinal o Brasil é um país LIVRE.

Em outros países existem datas comemorativas similares... Como o 04 de abril, data em que o povo norte-americano presta homenagem ao líder Martin Luther King Jr., assassinado em 1968, e que lutou como poucos pelos Direitos Civis... Apesar de os EUA ser um país teoricamente mais racista que o Brasil, as comemorações do dia 04 de abril não se limitam à Comunidade Afro-Americana porque muitos americanos ‘não-negros’ participam... Mas aqui no Brasil fica um bando de babaca se sentindo incomodado com o nosso dia 20 de novembro.

Alexandre disse...

Flavio, adorei seu comentário. Maravilhoso ,so vou acrescentar mais umas palavrinhas

Pardo não e etnia, é cor de pele. Qualquer brasileiro que se diz pardo deveria ser rechaçado por todos os lados ,afinal ele é apenas um quase-branco que deixou de ser totalmente negro. Nao existe classificação étnica mais ridícula, alias nem é uma classificação etnica

Adriana Ramos disse...

Muito bem Flavio, corretíssimo .Varias pesquisas já apontaram que negros ganham menos do que brancos que exercem a mesma função e tem o mesmo nível de escolaridade. Mas as pessoas ainda tem a cara de pau de dizer que no Brasil o preconceito é social e não racial.

A verdade é que no Brasil o preconceito é racial e social também, e é por isso que eu apoio totalmnte as cotas raciais, porque para o negro pobre as coisas são mais difíceis do que para o branco pobre.. E nao adianta nem dizer que vivemos em uma sociedade miscigenada porque isso não faz a menor diferença. Quando um negro é parado em uma blitz, a polícia desconfia mais dele do que d qualquer outra pessoa, logo, o valor de sua miscigenação é igual a zero quando se trata de oportunidades e de igualdade de tratamento

Anônimo disse...

Algumas pessoas tem idéias muito equivocadas sobre as cotas ... As cotas “raciais” foram implantadas com a finalidade de reparar injustiças sociais sofridas por grupos étnicos excluídos e discriminados, que por isso mesmo têm maior dificuldade de ascensão social e econômica. Assim sendo, as cotas não têm nada a ver com uma suposta desvantagem intelectual de negros em relação às pessoas de outras etnias, porque não existem grupos étnicos mais inteligentes ou mais capazes; o que existe são grupos étnicos discriminados e excluídos.

Outro grande equívoco é pensar que qualquer estudante negro tem acesso às cotas ... Não é assim que funciona! O candidato a cotista deve passar por todo um processo de comprovação da sua condição de pobreza. Eu, por exemplo, mesmo sendo negro não posso ter acesso às cotas, porque a condição econômica de minha família não é exatamente o que poderia ser considerada como precária. Assim, eu apoio as cotas para os negros que verdadeiramente precisam delas.

Também gostaria de esclarecer para o Alexandre Maia que, segundo o IBGE, a população negra é a soma dos auto-declarados pretos e pardos; sendo que os termos ‘preto’ e ‘pardo’ referem-se somente ao fenótipo (aparência) dos afrodescendentes. Por conseguinte, ‘pretos’ são os negros com fenótipo africano bem marcante, e ‘pardos’ são os negros cujo fenótipo africano é menos marcante (ou menos evidente) ... Portanto, pardos pertencem oficialmente ao grupo étnico-“racial” NEGRO.

O termo ‘pardo’ só passou a constar definitivamente das opções censitárias a partir de 1950, quando teve início a auto-declaração; mas sempre com o vínculo de origem africana que o IBGE acertadamente mantém até hoje.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...