quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Relações humanas: Puro interesse!


Significado de Interesse

(s.m. O que importa, o que é útil, traz proveito a alguém: agir no interesse de um amigo.
Apego exclusivo ao que é vantajoso; egoísmo: é o interesse que o guia.
Solicitude, benevolência: sentir vivo interesse por alguém.
O que, numa obra, encanta o espírito ou o coração: história cheia de interesse.
Parte que alguém tem numa sociedade comercial.
Lucro que se aufere de uma operação comercial ou industrial.
Juro de um capital depositado.)

Relações humanas é um assunto atual e que implica em várias áreas do nosso cotidiano, por isso faço uma breve reflexão sobre o que muitas pessoas tem apontado como o vilão das relações humanas: O interesse!

Quando eu digo que as relações humanas são um grande palco de interesses, as pessoas se assustam e discordam, mas vamos ver se discordam de mim agora:

100% das pessoas que vão a igreja diariamente tem interesse em herdar o reino dos céus e praticamente 100% dos que lá pregam tem o interesse na mesma coisa, ou em seu dinheiro.

100% dos que dizem ser seu amigo tem o interesse em algo que você tenha, seja financeiro, sentimental, social e etc.

100% dos patrões tem o interesse de ganhar muito dinheiro usufruindo da força de trabalho de alguém.

100% dos estudantes tem o interesse de se formar em alguma profissão que renda lucros e para isso também vão depender da força de trabalho de alguém.

100% das pessoas que namoram e que se casam tem o interesse em relação ao que o(a) parceiro(a) pode lhe retribuir, seja também, sentimental, financeiro, espiritual, social e etc.

E agora quero tocar em uma das instituições humanas que a sociedade ainda não permite o interesse: A família.
Não estou aqui questionando e muito menos banalizando o amor maternal que por muitas vezes está acima de qualquer analise, mas concordam comigo que as mães criam seus filhos com todo amor e carinho no interesse em ter um filho que a ame também, que a respeite e que seja uma pessoa boa diante dos seus olhos e aos da sociedade. O que acontece? As pessoas tem a mania de marginalizar o interesse e apresenta-lo como horrível. Alguns de cima do muro vão dizer que existe o interesse bom e ruim baseado em valores que a sociedade criaram, pois existe uma ânsia na raça humana em distinguir as ações humanas entre nobres e menos nobres.

Para finalizar, eu faço as mesmas questões aqui à vocês leitores que me fiz ha tempos atrás: Onde está a diferença entre uma mulher que deseja se casar com um homem rico e um homem que deseja se casar com uma mulher ou bonita, ou inteligente? Ela é interesseira e ele é o que?
Onde está a diferença entre uma mulher prostituta e uma mulher graduada? Quando ambas trabalham para garantir o pão de seus filhos, na primeira oportunidade vão optar pelo empregador que paga mais. Vão dizer que a mulher formada deve ser mais respeitada, pois tem um trabalho ''digno'', caros!... Estudando capitalismo na faculdade eu cheguei a conclusão que é hipocrisia chamar um serviço onde você trabalha 8:00 horas ou muito mais por dia de segunda a sexta, alguns sábado e domingo para chegar ao fim do mês e receber um salário mínimo aqui no Brasil de digno.
Com que explicação dizem que uma deve ser mais respeitada que a outra se as duas pagam impostos iguais?

Usei esse caso para sintetizar o interesse e como as pessoas danificam o significado das palavras. Tudo e até o interesse é uma questão da moral religiosa enraizada na sociedade ainda nos dias de hoje. Sem o interesse nem a tecnologia estaria avançada nos dias atuais e talvez se não fossem a distinção entre o interesse bom e ruim ela estaria muito mais na frente.

Acredito que o sentimento mesmo sendo imaterial é um interesse, mas sinceramente, quem somos nós para julgar se é nobre ou não? Se eu me interessando também posso dar algo meu em troca? Reflitam!

5 comentários:

Paulo Cardoso disse...

Isso em sistema formal é noção primitiva, todo animal é assim, a evolução fez isso! por exemplo: a falta de interesse sexual poderia ter acabado com nossa espécie (assim como sofrem os pandas).
O problema é que a evolução não previu que o homem viveria de falcatruas!

PS:100% é um número muito feio!

Rafaela Hernandes disse...

Mas releia as hipóteses de interesse, é o não é 100%? Até ir conversar com alguém que nunca se viu na vida quando se está apertado é no interesse de se conseguir um banheiro!

Paulo Cardoso disse...

100% é feio mas 99,999... esse é bonito!
acredito que quem esteja em um estado vegetativo não tenha interesses!
Bom, a julgar que ele também seja uma pessoa, concorda?

Rafaela Hernandes disse...

Mas nas minhas hipóteses eu não inclui pessoas no estado vegetativo. Os 100% que me referi são estritamente aqueles que citei. E outra, pessoas no estado vegetativo dificilmente participa das relações humanas diárias!

Paulo Cardoso disse...

eu concordo! o interesse faz parte do ser humano... não tem como negar.
parabéns pelo post :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...